Air Liquide torna-se parceiro principal do Energy Observer

Energy Observer

30/07/2021

A Air Liquide reforça o seu apoio ao Energy Observer tornando-se o principal parceiro para os próximos 4 anos. O Energy Observer, primeiro navio movido a hidrogénio a dar a volta ao mundo, e a Air Liquide, empresa pioneira no desenvolvimento da fileira do hidrogénio à escala internacional, colaboram a partir do lançamento deste navio-laboratório que testemunha o papel crucial do hidrogénio na transição energética. Esta nova etapa da colaboração entre as duas entidades com uma vertente de acompanhamento tecnológico, inscreve-se plenamente nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável do Grupo Air Liquide, e em particular nos compromissos assumidos em favor do hidrogénio renovável.

Primeiro navio energeticamente autónomo e embaixador francês dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, o Energy Observer explora soluções concretas e desenvolve tecnologias que aceleram a transição ecológica. Desde o seu lançamento à água em abril de 2017 em Saint-Malo, e mesmo antes da partida para uma volta ao mundo com zero emissões, a Air Liquide apoiou este projeto científico e tecnológico tornando-se patrocinador oficial.

O hidrogénio é a pedra angular da cadeia energética do Energy Observer. Na realidade, a particularidade do Energy Observer é a sua combinação energética, que inclui três fontes de energias renováveis, bem como uma cadeia completa de produção de hidrogénio a bordo do navio por eletrólise da água do mar. O hidrogénio verde produzido desta forma permite armazenar uma grande quantidade de energia e não liberta qualquer emissão de CO2 nem partículas finas. A sua utilização, associada a uma bateria de armazenagem de curta duração, permitiu à embarcação navegar em total autonomia ao longo de 4 anos percorrendo mais de 75 000 km em condições extremas, através do Mediterrâneo, do Ártico, do Atlântico e hoje do Pacífico. 

O Energy Observer encontra-se atualmente numa nova fase de desenvolvimento propondo, através da sua filial EODev (Energy Observer Developments), soluções energéticas inovadoras, sustentáveis, fiáveis e acessíveis às diferentes comunidades marítimas e portuárias, mas também terrestres com o GEH₂®, um grupo eletro-hidrogénio utilizado durante a iniciativa “Paris do Hidrogénio” organizada pelo Energy Observer. Este grupo eletro-hidrogénio permitiu iluminar pela primeira vez a Torre Eiffel com hidrogénio renovável certificado, fornecido pela Air Liquide. A partilha de uma ambição e as sinergias evidentes conduziram com naturalidade a Air Liquide a reforçar o seu compromisso no projeto para os próximos 4 anos, na qualidade de parceiro principal.

Esta nova etapa traduz-se também no apoio prestado à Fundação Energy Observer para permitir que a Odisseia prossiga a sua missão de sensibilização e pedagogia, mas também para um mecenato de competências. Assim, os colaboradores da Air Liquide que tenham desenvolvido uma experiência ímpar em toda a cadeia de valor do hidrogénio poderão ser incentivados a colaborar em projetos de Investigação & Desenvolvimento realizados em parceria. Esta iniciativa surge no seguimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável do Grupo, em particular os compromissos para acelerar o desenvolvimento do hidrogénio sustentável.

Matthieu Giard, membro da Comissão executiva do Grupo Air Liquide e Diretor das atividades do Hidrogénio, declarou: “É com orgulho que a Air Liquide continua a acompanhar esta aventura científica e humana, e a reforçar esta parceria quando o Energy Observer continua a sua evolução. Graças à colaboração das nossas equipas com as do Energy Observer, e aos testes de tecnologias de hidrogénio em ambientes extremos, podemos acelerar o desenvolvimento de soluções à base de hidrogénio e aplicações das mesmas em grande escala, em particular no setor marítimo. Temos de atuar hoje para preparar o futuro e desenvolver novos modelos de mobilidade sustentável que possam ter um impacto positivo na sociedade de amanhã.”

Victorien Erussard, Presidente de Energy Observer, declarou: “A Air Liquide possui competência e experiência ímpares em matéria de hidrogénio. Desde o início, o Energy Observer contou sempre com os conselhos dos seus investigadores e engenheiros, em momentos cruciais do desenvolvimento tecnológico do projeto. Hoje, queremos ir ainda mais longe, desenvolver verdadeiras inovações de rutura com aplicações cada vez mais diversificadas, e é com muito prazer que reforçamos as nossas ligações com o Grupo. As ambições e os investimentos no hidrogénio descarbonizado e nas tecnologias de armazenagem são outros progressos que comprovam que a sociedade do hidrogénio está em marcha, e que os franceses se encontram na primeira linha desta tecnologia. O conhecimento da Air Liquide aliado às inovações desenvolvidas e testadas pelo Energy Observer são indispensáveis para propor em grande escala soluções concretas que permitam combater o aquecimento global e preparar um mundo melhor para as gerações futuras”.

O compromisso da Air Liquide a favor do hidrogénio

Totalmente em linha com o Acordo de Paris de 2015, os compromissos da Air Liquide respondem à urgência das alterações climáticas e da transição energética, visando a neutralidade carbónica até 2050. Sendo pioneiro do hidrogénio, o Grupo está convicto de que o hidrogénio é uma pedra angular da transição energética. Ao longo dos últimos 50 anos, o Grupo desenvolveu uma competência ímpar e domina o conjunto da cadeia de aprovisionamento, da produção e armazenagem até à distribuição do hidrogénio enquanto vetor de energia limpa para um vasto conjunto de aplicações como as utilizações industriais e a mobilidade limpa.A Air Liquide compromete-se a alcançar vários objetivos, a investir cerca de 8 mil milhões de euros em toda a cadeia de valor do hidrogénio de baixo teor de carbono até 2035 e a atingir uma capacidade total de eletrólise de 3 GW até 2030.

A propósito do Energy Observer

O projeto Energy Observer nasceu em 2013 graças ao empenho de Victorien Erussard, oficial da marinha mercante. Consciente de que é vital assumir um compromisso em prol do planeta, Erussard reuniu à sua volta uma equipa constituída por profissionais complementares, marinheiros, cientistas, engenheiros e repórteres, a fim de criar o primeiro navio autónomo capaz de extrair energia da natureza sem deixar de a preservar.O sonho concretizou-se 4 anos depois, quando o navio Energy Observer é lançado à água pela primeira vez. Desenvolvido a partir de um lendário catamarã de competição, o Energy Observer é um laboratório da transição ecológica projetado para alargar os limites das tecnologias de zero emissões. Hidrogénio, solar, eólica, marés, todas as soluções são experimentadas, testadas e otimizadas nesta embarcação para que as energias limpas sejam uma realidade concreta e acessível a todos. Sulcando os mares ao encontro de todos aqueles que todos os dias encontram soluções sustentáveis para o planeta, o Energy Observer transformou-se num movimento, numa Odisseia à volta do mundo em que cada escala representa uma ocasião para aprender, compreender e partilhar as energias de uns e de outros. O Energy Observer recebeu o Alto Patrocínio de Emmanuel Macron, Presidente da República Francesa. Sendo o primeiro embaixador francês dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, conta com o apoio oficial do Ministério da Transição Ecológica, da Unesco, da União Europeia, da Irena [Agência Internacional para as Energias Renováveis] e da Ademe [Agência do Ambiente e das Economias de Energia].

Contacto - RIVACOM para o Energy Observer - media@energy-observer.org